Azar no ar

Muitos consideram a sexta-feira treze um dia de azar. E você, também é um deles? Antes de acreditar na superstição, já se perguntou quantas vezes, efetivamente, houve má sorte em seu caminho neste dia? Inúmeras pessoas acreditam na crença, porém poucos conhecem sua origem.

Ao citar a data, logo vem a mente um cara com máscara de hóquei e uma motosserra na mão, não é mesmo? E não é para menos! Afinal, a franquia do filme que virou um dos ícones de terror é extensa, contando com mais de trinta anos de existência, doze filmes e arrecadando mais de 500 milhões de dólares. Porém não é por isso que a sexta-feira treze é considerada um mau agouro, talvez os próprios produtores tenham se inspirado nas crendices populares quando deram vida ao personagem. Então, de onde veio esse mito?

Não se sabe ao certo, mas tudo indica que o costume surgiu com duas lendas nórdicas.

A primeira delas descreve uma festa muito pomposa com um banquete de dar água na boca na morada celestial das divindades, Valhalla, e para tal feito foram convidados doze Deuses. Tudo estava indo muito bem até que Loki apareceu de penetra no evento e armou uma confusão daquelas que resultou na morte de Balder, o qual era ninguém menos do que um dos favoritos. Estabeleceu-se, então, que convidar treze pessoas para o jantar era símbolo de azar.

A segunda já toma lugar na era do cristianismo, pois quando os nórdicos se converteram a religião a Deusa do amor e da beleza, Friga, fora transformada em bruxa. Para se vingar de tal feito, a mesma uniu-se a onze outras bruxas e ao próprio Satanás, e todas as sextas-feiras os treze juntavam-se a fim de rogar praga para toda a humanidade. A superstição de que o dia da semana trazia má sorte se espalhou por toda a Europa, transformando a sexta-feira em um dia de azar.

Tais crenças foram reforçadas até mesmo na bíblia. A Santa Ceia aconteceu um dia antes da morte de Jesus Cristo, a qual se deu em uma sexta-feira, e o banquete contava com treze pessoas à mesa. Contudo, não foi somente esse relato que destacou o dia como lugar para desastres. Eva ofereceu a maçã a Adão em uma sexta-feira e advinha quando o grande dilúvio teria começado?

Todas essas crendices, passadas de geração a geração, fizeram com que a sexta-feira treze fosse, e ainda seja, temida por muitos. Eu particularmente gosto delas, afinal, assim como Jason, nasci no dia treze e, justamente, neste dia da semana. E você? Ainda acha que elas trazem azar? Se a resposta for afirmativa, melhor tomar cuidado ao passar por este treze de julho, já que estamos precisamente em uma sexta-feira.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s