O dia em que elas sumiram

Não se falava em outra coisa, qualquer meio de comunicação que se utilizasse a matéria de destaque era: “O que aconteceu com as nossas mulheres?”. Não sobrara uma na face da Terra, naquele dia os homens do mundo inteiro acordaram e suas mães, tias, avós, esposas e filhas não encontraram. Como que todas as mulheres do mundo poderiam ter sumido assim ao mesmo tempo? O que poderia ter acontecido? Para onde foram? Quem havia feito isso? Eram as perguntas que não calavam. O mundo inteiro se questionava sobre o paradeiro de todos os exemplares femininos da espécie.

No começo não houvera muita preocupação, pois a teoria comum era que do mesmo jeito que sumiram misteriosamente, voltariam de repente. Com isso o desaparecimento para muitos fora um alívio, um período de descanso das constantes cobranças femininas. Não se escutavam mais coisas como: você vai deixar essa toalha ai, que bagunça é esta, precisamos discutir a relação, amanhã começo o regime, você não me ajuda, não tenho roupa, não me irrita que eu estou de TPM, você não tem responsabilidade alguma, e tantas outras mais. Para os solteiros, casados sem filhos ou sem herdeiros homens, crianças e idosos, o sumiço das mulheres na verdade fora um grito de liberdade. Poderiam comer e se vestir do jeito que quisessem, andar nus pela casa, deixar as coisas desarrumadas, jogar videogame ou futebol até enjoar, sair com os amigos para beber todos os dias, assistir quantos canais de esportes, pornôs e filmes de ação que pudessem suportar. No início fora a vida que pediram a Deus.

Porém, conforme o tempo foi passando, os pequenos prazeres pessoais já não compensavam a falta das mulheres. Aqueles que ainda tinham filhos homens estavam tendo dificuldades em criá-los sozinhos, muitas das obrigações para com a criança eram responsabilidades de suas esposas, a adaptação para ambas as partes estava sendo mais custosa do que se imaginara. O mercado financeiro sofreu um colapso quase que imediato, pois apesar de alguns setores terem seus faturamentos dobrados como comidas industrializadas, automobilístico ou pornográfico, muitos deles sofreram quedas drásticas, afinal as mulheres sempre foram famosas pelo consumismo e no final acabou se descobrindo que era essa compulsão que movimentava a economia de todo o mundo. Algumas profissões deixaram de existir como ginecologia e obstetria, outras tiveram que ser readaptadas por sofrerem uma perda drástica em seu quadro de empregados e pessoas habilitadas para a função e muitos homens tiveram que ser realocados. A violência, a obesidade e os índices de doenças cardíacas aumentaram. Os homens já sentiam falta de suas companheiras, de ter uma relação íntima, e foi aproveitando essa necessidade que uma empresa japonesa de bonecas de companhia acabou se tornando uma das mais ricas da atualidade. Os que não tinham condição de pagar por uma parceira de borracha ou queriam um contato físico, assim como na cadeia, procuraram seus confortos com pessoas do mesmo sexo.

Fizeram de tudo para achar o paradeiro das mulheres e trazê-las de volta, mas era como se elas simplesmente nunca tivessem existido. A vida continuou, a sociedade se adaptou e acabou se normalizando, mesmo assim eles sabiam que era questão de tempo até que a humanidade entrasse em extinção, afinal sempre fora no ventre feminino em que a vida se gerou. Agora elas só existiam em fotos, em filmes antigos e nas imaginações masculinas. Mesmo que alguns já não se lembrassem mais de como era a vida em suas companhias, muitos eram ainda os que alimentavam a esperança de que elas retornassem. Era fato a sobrevivência dos homens a falta delas, tanto masculino quanto feminino sempre foram aptos a fazer o que quisesse, mas fazia falta a sensibilidade, a sabedoria, a alegria delas, suas cores e suas formas. Perceberam que precisavam delas, não pela necessidade de lavar suas roupas ou fazer suas comidas e sim pela importância de suas presenças. A palavra de ordem era que se um dia alguém encontrasse uma mulher, em qualquer parte do mundo que fosse, a tratasse com muito respeito e carinho, pois agora mais do que nunca sabiam o valor que elas possuíam.

Uma consideração sobre “O dia em que elas sumiram”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s