Ela e Ele – Um encontro mais

Ela chegou do trabalho e foi correndo tomar um banho. Estava ansiosa. Não era o primeiro, e nem o segundo encontro, porém a empolgação continuava a mesma. Já sabia que roupa vestir, que sapato usar, que maquiagem fazer. Desta vez quem tinha escolhido o programa fora era. Um cinema, um jantar e talvez, depois, beber alguma coisa. Simples, mas não se importava, pois qualquer evento com ele era animado.

Ele deixou que ela passasse para sentar-se e depois fez o mesmo. O filme escolhido não era muito seu estilo, mas quem se importava? No final acabaria sendo bom de qualquer jeito! Só por estar com ela. Subiu o braço da poltrona, abraçou a moça e fez com que ela se acomodasse em seu ombro. Colocou o balde pipocas em seu colo e se preparou para as duas horas de filme em sua companhia.

Ela sabia que ele iria adorar o restaurante, pois, apesar de não estarem há tanto tempo juntos, já havia aprendido alguns de seus gostos. Entrada, prato principal e sobremesa; fora tudo maravilhoso! Melhor ainda foram as horas de conversa que tiveram. Sempre tão interessantes e produtivas! Ainda ficava sem jeito em alguns momentos, mas, agora, na grande maioria das vezes, já conseguia ser ela mesma, pois sua confiança na relação crescia a cada dia.

Ele já não precisava de mais nada, mas aceitou ir a um barzinho com ela só para que a noite não acabasse tão cedo. Pediu uma cerveja para ele e um drink para sua companhia. Tinha quase certeza que ela adoraria aquela bebida. Um rapaz com um violão enchia o ambiente com suas melodias. Era engraçado vê-la se controlar, e falhar, para não cantar junto com suas músicas preferidas. Era ainda mais fascinante descobrir quais eram essas canções!

Ela admitia que, talvez, tivesse bebido um pouco mais do que devia. Mas, se não fosse assim, quiçá não tivesse tido coragem de fazer o convite que tanto queria. Estava com ele a caminho de um lugar mais reservado para passarem a noite juntos. Tinha borboletas na barriga. Parecia que era a primeira vez que fazia aquilo e, de certo modo, até era. Afinal, nunca havia vivenciado um sentimento como aquele que o rapaz sentado ao seu lado lhe despertava. Não via a hora de chegar! Queria muito que ele fosse dela e vice-versa.

Ele entrou no quarto e esperou alguns minutos até que ela se sentisse confortável. Estava nervoso, mas isso era porque nunca teve tanta certeza do que queria como naquele momento. Começou a beijá-la e deixou que o sentimento os levassem até onde quisessem. Não teve pressa ou anseio, mesmo com todo o fogo que sentia naquele instante. Mais do que saciar o desejo, queria sentir aquele momento ao lado dela. Ela seria dele e ele dela.

Eles ainda terão muitos encontros e desencontros pela frente. Momentos tão bons quanto este e alguns não tão agradáveis assim. Contudo, ali abraçados naquela cama, a certeza de que tudo sairia perfeitamente bem lhes preenchiam. Pois exalavam a paz que só os amantes mais promissores conseguem ter.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s